Intolerantes a lactose podem comer queijo?

Quem tem intolerância a lactose sabe como é o desconforto que vem depois de comer um alimento com leite. Mas isso não significa que os amantes de queijo precisam ficar sem ter o prazer de saborear esses e outros derivados do leite.

A cada dia que passa, mais pessoas procuram por produtos sem lactose, inclusive veganos e outras que optam por uma alimentação mais saudável. Hoje, as possibilidades que o mercado oferece são de dar água na boca!

Você sabe por que algumas pessoas não podem consumir leite animal, e como as indústrias de laticínios criaram alternativas para isso? Confira a seguir.

O que é a intolerância a lactose

Diferente da alergia ao leite, que é quando o sistema imunológico reage à proteína desse alimento, a intolerância está relacionada ao sistema digestivo. Isso significa que as pessoas que têm essa doença não conseguem digerir a lactose, um açúcar (carboidrato) presente no leite animal.

Isso acontece pela deficiência da enzima lactase, responsável por essa função. Como consequência o corpo reage com sintomas gastrointestinais que trazem muito desconforto e até outras complicações.

Foi então que surgiram algumas alternativas para a produção de queijos e outros derivados do leite com zero lactose.

Como são fabricados produtos sem lactose

Existem algumas formas de se produzir leites e derivados sem lactose. Uma delas é a adição da enzima no próprio leite, para que esse açúcar seja quebrado em duas substâncias, glicose e galactose, o que evita os sintomas da intolerância.

A outra forma é a utilização de leites vegetais, derivados do coco, amêndoas, arroz, soja, aveia, inhame e castanha de caju, por exemplo. Apesar do leite ser uma importante fonte de cálcio, esse mineral pode ser reposto através de outros alimentos.

Seja criativo nas receitas

Com essas alternativas, tanto as pessoas com intolerância a lactose, quanto veganos ou aqueles que seguem dietas saudáveis podem ter muita fartura na mesa. Os queijos e outros derivados do leite, mesmo sem lactose, continuam sendo saborosos e encaixam nas mais diversas receitas. Como tudo na cozinha, o segredo é a criatividade e a qualidade do alimento que você usa.

Para saber se um produto contém ou não lactose, basta conferir o rótulo da embalagem.

 

Quer algumas dicas de pratos deliciosos para fazer com diversos tipos de laticínios? Confira nosso caderno de receitas.

Confira três queijos que deixam o hambúrguer incrível!

É difícil se imaginar fazendo um hambúrguer caseiro sem adicionar o delicioso queijo Sabor da Serra para turbinar a receita. Confira três tipos de queijo que dão um toque ainda mais especial nele, cada um de um jeito diferente:

EMMENTAL:

Uma ótima opção por derreter muito bem, dando aquela tradicional esticadinha quando puxado. Além de ser suave e levemente adocicado, atribuindo um sabor diferenciado ao seu hambúrguer! Uma curiosidade sobre ele: quanto menores e mais redondos seus buraquinhos, mais picante e forte ele fica.

GORGONZOLA:

Ele é o queridinho da Itália, sendo o terceiro queijo mais consumido em todo país, com sua consistência cremosa e intensidade. Ele faz parte da família dos queijos azuis, e é produzido com queijo de vaca. Além disso, possui um gosto bem característico e salgadinho que leva presença para qualquer receita!

GOUDA

Não é a toa que o queijo Gouda é utilizado na cozinha gourmet: possui um leve sabor de nozes, é suave e tem um suave aroma lático. Precisa de mais motivos para botar esse famoso queijo no seu hambúrguer? Sua textura é bem macia e ele não possui acidez, além de ser bem flexível e ter uma bela cor amarelada.

Ficou difícil escolher entre um só? Então experimente cada um deles e conte pra gente qual o seu preferido! Basta mandar uma mensagem por uma das redes sociais do Sabor da Serra.

 

Comer queijo pode ajudar a viver mais

Um estudo foi divulgado recentemente e vai fazer a alegria dos amantes de queijo. A pesquisa realizada pela Sociedade Europeia de Cardiologia aponta que, com a exceção do leite, comer laticínios aumenta a longevidade e protege contra a mortalidade relacionada a problemas cerebrovasculares (como AVCs).

O estudo, que durou seis anos, contou com a participação de 24.474 adultos, os quais tinham uma idade média de 47,6 anos. Durante esse tempo, foram registradas 3.520 mortes, incluindo 826 devido a câncer, 709 paradas cardíacas e 228 que tiveram como causa incidentes cerebrovasculares.

Os estudiosos descobriram que o consumo de laticínios foi associado ao menor risco de mortalidade, e o consumo de queijo, em particular, está ligado a uma taxa de mortalidade 8% menor.

Outro estudo, mas na mesma linha, foi realizado na Universidade de Medicina de Lodz, na Polônia, e os resultados foram os mesmos. Nessa pesquisa, foram apurados dados de 636.726 participantes, durante 15 anos, e foi detectado que o consumo elevado de laticínios contribuía para a diminuição da mortalidade. Os cientistas concluíram, também, que o consumo de leite tem o efeito contrário, prejudicando as chances de uma vida prolongada.

A conclusão que fica é a seguinte: aproveite a pesquisa e consuma queijos. Além de viver mais, vai se deliciar com os diversos sabores.